Produção gráfica

Padrão

Sempre trabalhei com diagramação e produção gráfica. É um trabalho que faço desde os tempos do paste up e composição tipográfica na letraset.

design

Padrão

Identidade visual

Uva Limão, 2016

Uva Limão

 

Taam ProduçõesTaam Traduções, 2014

Identidade visual

 

Pedro TaamPedro Taam, 2014

músico erudito

Identidade visual

 

Fantastik, 2010

Logo Fantastik

 

2Cês, 2010

Guache, 2009

Van Or, 2007

Cinabre, 2005

logo Cinabre logo Cinabre logo Cinabre

 Marcelo de Alvarenga, 2002

Marcelo de Alvarenga

 

Aguarrás, 1999

Aguarrás - identidade, site, etc.   versão da logo

 

 

Sites e templates para WordPress

Studio Next, 2010

estudionext

Template para wordpress

 

Fantastik, 2010

Template pra wordpress Template pra wordpress

 

 Zungu, 2008

template do site Zungu template do site Zungu template do site Zungu

 

 Leio porque quero, 2003

Leio porque quero

 

 Márcia Neves, 2002

 site Márcia Neves site Márcia Neves

 

 

 

 

DVD-Rom e livreto

Missão de Pesquisas Folclóricas Mário de Andrade, 2011.

O projeto gráfico, tanto do DVD quanto do livreto e a arquitetura de informação do DVD são meus.

Missão de Pesquisas Folclóricas Mário de Andrade Missão de Pesquisas Folclóricas Mário de Andrade Missão de Pesquisas Folclóricas Mário de Andrade Missão de Pesquisas Folclóricas Mário de Andrade Missão de Pesquisas Folclóricas Mário de Andrade Missão de Pesquisas Folclóricas Mário de Andrade

O projeto tem também um hotsite link externo e a possibilidade de pesquisa in loco link externo.

 

 

Impressos

Márcia Neves, 2010.

 Cartaz de lançamento do livro Convite de lançamento do livro

 

Atlantide Eletromecânica, 2005

Trata-se de uma indústria especializada em equipamentos de sinalização de aeroportos, aeronaves, navios e portos. O design do flyer e do catálogo abaixo é meu.

Atlantide Atlantide Atlantide Atlantide Atlantide

 

Espanha, 2002.

Espetáculo de dança flamenca e duo de pianos. Eu fiz toda a programação visual do espetáculo, incluindo os impressos, banner da fachada, etc.

Espanha Espanha Espanha

 

 

 

 

 

Design editorial

 

 

 

Ainda não organizei todo o portfolio de design. Em design gráfico, trabalho principalmente com identidades visuais e design editorial. Faço produção gráfica também. Em webdesign, com arquitetura de informação, além do design propriamente dito e costumo preferir soluções utilizando o WordPress. Não sou programadora.

 

 

 

Scribus: diagramando em software livre

Padrão

O Scribus é um programa opensource de diagramação. Existem muitos tutoriais em inglês disponíveis online, inclusive em vídeo.

Como esta é uma revista voltada para a web, vou considerar a meta de produção como e-books e afins e não vou me preocupar aqui com questões como resolução mínima de impressão ou geração de marcas de registro, por exemplo. Se esta for uma questão importante para você, no site de documentação do Scribus você encontrará bons pontos de partida. Recomendo também a leitura do livro O Design do Livro, de Richard Hendel.

Antes de entrar na parte prática do programa é importante pensarmos em alguns conceitos que talvez não sejam uma preocupação para quem é muito “webcentrado”.

Diferentemente de sites, publicações em pdf e afins pressupõem uma certa linearidade. Ou seja, não usamos extensivamente hipertexto e lógicas similares. Toda a diagramação é pensada como um plano fechado, não-fluido ou muito menos elástico. Além disso, o conteúdo também é pensado de forma a não utilizar referências externas, como um link para uma definição na wikipedia, por exemplo. A publicação neste formato precisa ter uma certa unidade e independência, mesmo se parte de uma série ou se é um periódico. Pegue a Revista Webdesign como exemplo: cada edição tem uma identidade comum a todas e, ao mesmo tempo, encerra os assuntos ali propostos com artigos completos e que se sustentam sozinhos.

Podemos usar esta mesma lógica, da publicação linear, em outras aplicações. Não é incomum, por exemplo, que um artista queira sua obra dividida em anos ou em fases. Podemos criar um pdf para cada segmento ou seção e colocá-lo de forma a fazer sentido no todo, com ou sem textos explicativos. Ou, ainda, é possível que um cliente seu queira uma área de downloads de documentos que necessitam ser impressos em uma formatação específica (como atas, pareceres jurídicos, etc). Ou seja, nem só de CSS vive o homem.

O Scribus é um programa bastante complexo. Existem inúmeros bons tutoriais e uma vasta documentação a seu respeito na web e portanto o propósito deste artigo é apenas de apresentá-lo como uma solução possível de diagramação.

Começando do início, como manda os bons costumes, abrimos um novo documento.

Scribus: diagramando em software livre

A caixa de diálogo exibe algumas opções interessantes, como a possibilidade de dobras duplas ou triplas e a mudança da unidade de medida para cada documento.

Scribus: diagramando em software livre

Na hora da criação, pedi um Automatic Text Frame, então é só colar o texto a ser diagramado.

Scribus: diagramando em software livre

Uma das principais características do Scribus é que ele trata cada elemento individualmente, inclusive com a possibilidade de mudarmos o nome para uma identificação mais rápida. No caso de uma publicação maior, será muito mais fácil de identificar “Tabacaria” do que “Text1”, por exemplo.

Scribus: diagramando em software livre

Se você precisar criar novas caixas de texto, a passagem automática de uma para outra pode ser ligada/desligada no Link Text Frames.

Scribus: diagramando em software livre

Todos os ajustes de texto são encontrados na caixa de diálogo Text, os de imagem na caixa Image e assim por diante.

Scribus: diagramando em software livre Scribus: diagramando em software livre Scribus: diagramando em software livre

Assim como os melhores programas de Desktop Publishing, o Scribus também tem estilos de parágrafo. Clique em new para criar os seus estilos. Depois, para aplicá-lo é só selecionar o texto e clicar em “style” na caixa de texto.

Scribus: diagramando em software livre Scribus: diagramando em software livre

Se quiser quebrar uma página antes do automático, é só arrastar a linha final para a quebra ou então inserir um frame break na posição certa.

Scribus: diagramando em software livre

Inserimos então um Image Frame e, com 2 cliques em cima dele, importamos uma imagem. Neste caso, estou usando uma fotografia da tabacaria Seattle Rainier Cigar Co, de 1900, encontrada no endereço http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Seattle_Rainier_Cigar_Co_-_1900.jpg

Scribus: diagramando em software livre

As imagens podem ser tratadas de várias maneiras. Uma das mais comuns é com o texto contornando os limites da imagem. Para isso, basta clicar em Shape e em Text Flows Around Frame.

Scribus: diagramando em software livre

Outra coisa importante de mostrar é que o Scribus trabalha com layers e podemos, por exemplo, inserir a imagem por baixo do texto.

Scribus: diagramando em software livre Scribus: diagramando em software livre Scribus: diagramando em software livre Scribus: diagramando em software livre

Em Document Setup, em sections, você pode manipular e adicionar seções do seu documento e, depois pode gerar um índice automático em Page of Contents. Funciona mais ou menos como o book do InDesign. É nesta caixa de diálogo também que você encontrará a exportação para PDF.

Scribus: diagramando em software livre

Inserir número de páginas também é bem similar ao programa da Adobe. Basta inseri-lo como um caracter especial dentro de um frame de texto.

Acredito que com estes poucos dados já seja possível fazer algo com o Scribus. Assim como qualquer software open source, este também muda um pouco a lógica das coisas para quem está acostumado a similares comerciais. É necessário um período de adaptação mas acredito que a maioria das necessidades de diagramação sejam supridas por ele. Pode ser uma boa solução gratuita para você ou para a sua empresa, inclusive para impressos.

 

Scribus: diagramando em software livre. Revista Wide online, 27 ago. 2010.